Fim de 190 linhas é o que prevê reformulação no transporte público de São Paulo

0

Uma reformulação no sistema de transporte público foi um dos principais assuntos sobre São Paulo nesta semana. Isto porque a prefeitura da cidade resolveu eliminar 190 linhas de ônibus das quais circulam pelas ruas da capital hoje. Esta eliminação foi descrita no novo edital de concessão que foi publicado no último dia 24 de abril. Além de uma melhoria na frota, esta diminuição nas linhas prevê também reduzir a emissão de poluentes, em um dos que é considerado locais com maiores índices de poluição do Brasil.

As empresas que forem vencedoras da licitação, terão a oportunidade de operar na capital por 20 anos, desde que sigam a risca todas as solicitações descritas no edital. Segundo a prefeitura, o novo edital está com 5 anos de atraso, pois o último contrato de longo prazo venceu no ano de 2013, onde desde então contratos emergenciais vem sendo firmados para que não haja a paralisação do serviço.

A frota atual de São Paulo

Atualmente São Paulo conta com 14.457 veículos em operação. Estes ônibus atendem a 1339 linhas. Com o novo edital, a frota deverá conter 13.592 veículos, que irão atender a prováveis 1193 linhas. 882 (66%) das linhas atuais irão permanecer, 267 serão modificadas e 190 serão extintas.

Mas mesmo com a redução da frota atual, segundo informações do João Octaviano Machado, da Secretaria de Mobilidade e Transportes, o novo edital prevê ótimas melhorias, onde entre elas está a diminuição de linhas em um mesmo trajeto. Outra citação do secretário é que a quantidade de assentos será aumentada, pois os ônibus mais modernos terão uma oferta maior de assentos e eles irão circular em uma velocidade maior nos corredores dedicados a eles.

Segundo ele, um estudo aprofundado pelos técnicos do SPTrans, irá definir uma melhor estrutura para os sistemas atuais, otimizando as linhas já existentes.

Outras melhorias previstas no edital

Além de uma melhoria nas linhas atuais, o edital prevê que a vencedora da licitação inclua na frota uma boa quantidade de veículos com energia renovável, para que possa ser feito uma redução drástica na emissão de poluentes. Na atual gestão, menos de 2% do total da frota conta com ônibus elétrico. Já nos 10 primeiros anos, a empresa deverá fontes alternativas de energia em seus veículos, reduzindo a emissão de dióxido de carbono em pelo menos 50%.

Todos os ônibus deverão ter ao menos 30% de entradas USB com relação a quantidade de assentos, acessibilidade total para portadores de necessidades especiais e outros benefícios ligados a segurança e tecnologia.

O valor deste contrato está previsto para ser de 68 bilhões de reais.

Todas as exigências para a nova frota

Todas as principais exigências de São Paulo para aquele que assumir o novo contrato serão:

  • Limitador de velocidade
  • Ar condicionado
  • Dispositivo de bloqueio de portas
  • Painel com indicador de velocidade aos passageiros
  • Direção elétrica ou hidráulica para a frota
  • Piso com rebaixamento
  • Painel traseiro com indicador da linha em operação
  • USB
  • Mais portas de desembarque
  • Validade para a frota
  • Suporte para bicicletas
  • Garagem própria

Todos os veículos da nova frota deverão possuir um dispositivo que limite a velocidade do ônibus em 50km/h. Este dispositivo também deverá impedir que as portas abram em movimento, só sendo permitido a abertura em velocidades inferiores a 5km/h

Todos os veículos deverão estar equipados com ar condicionado. Um painel numérico com o indicador de velocidade para os passageiros que irá funcionar de acordo com o tacógrafo. Piso com rebaixamento total e/ou parcial com relação ao plano horizontal para facilitar a circulação dos usuários. Um painel eletrônico na parte de trás do veículo para informar qual o número da linha. Conexão USB para carregamento de celulares.

Mais de uma porta de desembarque com acionamento simultâneo. Veículos com validade máxima de operação, 10 anos para os à diesel e 15 anos para os elétricos. Também será necessário que veículos articulados com 23 metros de comprimento tenham suporte para bicicletas, sendo instalado próximo a porta de desembarque. As garagens atuais serão desativadas, por isso será necessário que a nova empresa tenha uma garagem própria.

Estas são algumas das principais exigências para aqueles que vencerem a licitação.

Após ser anunciada a vencedora e o contrato for assinado, o prazo para apresentar um cronograma de composição da frota com os índices e gráficos referentes as melhorias e redução de poluentes é de 120 dias. Todos os anos deverão ser apresentados o relatório completo de cada veículo. Neste relatório deverá conter as informações sobre a emissão de poluentes, consumos e quilômetros rodados.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.